quinta-feira, junho 22, 2006

TELA ABERTA


Quando tento escrever alguma coisa, sempre me enrosco no difícil começo...e penso: - Ah! É a tela do computador....que coisa mais árida e inibidora é a tela em branco do editor de textos...

Os escritores de antes eram mais felizes....papel e canetas tinteiro.....ou papel e boas e velhas máquinas de escrever....daquelas que emperram em determinadas letras, com defeitos nas fitas, rebobináveis a dedo mesmo !!!!

Como seriam textos e poesias de escritores do século passado, por exemplo, se eles tivessem na sua frente uma tela de computador, com um editor de textos aberto ?

E hoje, quando me proponho a escrever algo especial, uma meta-crônica ou conto....algo de que eu possa me orgulhar, falta-me a inspiração de uma caneta tinteiro, ambiente noir, goles de conhaques ou similares, um som de música distante, atmosfera propícia para falar de coisas realmente importantes...Ah! Sim....a tela continua aí !!! Branca, intocada....e não pode sequer ser amassada e jogada no lixo do quarto.

Sobre o que vai ser o texto mesmo ? Que texto ? O meta-texto, se possível metafísico...Meu Deus, e como se começa um treco destes ? Vai ser poema ? Rimado ? Crônica ? Conto ?

Ah...se eu tivesse uma única frase de impacto já bastaria...o texto fluiria. Meus amigos notariam e comentariam: - Puxa, que talento ! De onde vem essa coisa em pulsos que eu sinto quando leio algo seu ? Como você consegue retirar tanto das palavras, se elas são apenas palavras e....bem....se você escreve sentado à frente de uma tela aberta de um editor de textos ?

O tempo vai passando e a frase não vem...a pressão aumenta para entregar o texto pronto...e nada....Será que sou um farsante ? Ou será que meus amigos sentem a mesma dificuldade com o difícil começo ?

Mas, afinal, quem foi mesmo que disse que eu levo jeito para isso ?

Eu queria só ter e fazer amigos, partilhar idéias, compreender o mundo, não necessariamente escrever ! Escrever é veículo, não é fim em si mesmo ! Nossa, essa frase pareceu boa....mas pareceu tão familiar que já devem ter dito isso umas quinhentas mil vezes !!!

Esse texto tem que estar pronto hoje....agora....aliás, há 1 hora !

E por que não consigo ? Justo hoje ?

O texto é nosso até ser lido...isso eu já sei. E por que penso tanto em quem vai ler, se ainda não é de ninguém ?

Será que vale a pena essa angústia, dia após dia ? Preciso voltar à análise, e perceber que meu grau de exigência e perfeccionismo faz de mim um autômato, um ser movido a obrigações....

Escrever é um ato de amor !? Balela...é meu ganha pão! Ah se eu tivesse enveredado por esses futuros alternativos que nos são oferecidos nos “nós” do nosso destino !!!!

Arquiteto, jogador de futebol ou simplesmente morador de uma comunidade alternativa, tirando do chão o sustento do hoje ! Qual teria sido ???

O raio do editor de texto aberto e ....nada !

Chega !!! Está decidido. Vou parar de escrever....de uma vez por todas, chega!!!

E ele realmente parou. No dia seguinte, Gabriel Miranda pediu demissão na Revista Faces onde trabalhava e parou, definitivamente, de escrever. Mudou-se para Alto Paraíso. Teve um filho, a quem deu o nome de Meteoro (“não era esperado, mas todos se encantam com ele”)...e acha graça quando lhe dizem que seu Blog ainda está no ar....passado tanto tempo ! Não escreve mais....mas poderia escrever um livro, se quisesse. Todas as noites passa horas olhando o céu....e lhe vêm à mente poesias, contos, crônicas, dramaturgia...e ele tem certeza de que está mais perto de saber o que está fazendo por aqui e para onde vai tudo isso ! E não sente falta do editor de textos, ou da tela árida do computador....

Daniel Bykoff, co-editor desse Blog, não tem muitas coisas em comum com Gabriel Miranda...mas entre elas certamente estão os “difíceis começos”....Ah! E adora uma reversão de expectativas !!!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home